segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Eleições 2008 em Quixeré


Concorrendo à prefeitura de Quixeré pela coligação PSDB –
PMDB – PRP – PHS a Senhora Luzimar Bandeira de
Oliveira Rebouças obteve 5.985 votos, correspondendo
a 48,45% dos votos válidos, contra o atual prefeito Sr.
Raimundo Nonato Guimarães Maia (vulgo Pitiúba) que
concorreu na coligação PR – PC do B - PTB – PRB – PSC –
PT – PPS e foi sufragado com 6.368 votos, total
correspondente a 51,55% dos votos válidos, ganhando a
eleição com uma diferença de 383 votos.

A Câmara municipal está composta pelos seguintes vereadores
eleitos: Zequinha Janú - PR com 668 votos, Mundinho de
Alcides – PR, 650 votos. Joverlan – PMDB, 659 votos.
Giuvan – PPS 465 votos. Fernando de Maura – PT, 385 votos.
Francileide – PTB, 407 votos, Professora Cláudia – PRP 474 votos.
Cleudo de Franciné – PRP 794 votos. Bidô – PRP 412 votos.

O total de eleitores do Município é 14,806. Total de votantes,
13.330. votos brancos 166,
votos nulos 811, Total de votos válidos 12.353

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Recuperação da Estrada do Melão


Conforme foi anunciado pelo governador Cid Gomes, na abertura do Frutal 2008 dia 15 de setembro no Centro de convenções Edson Queiroz, será realizada no dia 15 de outubro a licitação para o recapeamento, em Asfalto Betuminoso Usinado à Quente, dos 40,8 Km da rodovia CE-377 entre Quixeré e Rio Grande do Norte via Bom Sucesso, conhecida como “Estrada do Melão”. A restauração asfáltica e sinalização vertical e horizontal custarão aos cofres do estado do Ceará cerca de 9,6 milhões de reais e terá fiscalização do DER. A recuperação desse trecho da CE-377 atende as reivindicações dos fruticultores da chapado do Apodi, que vêm reclamando das atuais condições da estrada (esburacada e sem sinalização) por onde é escoada a produção de frutas para exportação. Os empresários alegam prejuízos por depreciação dos caminhões transportadores, o risco de perda de qualidade do melão, pois o mesmo pode soltar as sementes por causa dos solavancos e o aumento em aproximadamente uma hora no deslocamento Quixeré/Rio Grande do Norte.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Projeto “Bom de bola, 10 na escola”


Criado em 16 de dezembro de 2006 por iniciativa de um grupo de voluntários da cidade de Quixeré, o projeto “Bom de bola, 10 na escola, conta com espaço cedido pelas escolas locais para treinos de futsal e futebol de campo, atendendo a 63 crianças e adolescentes com treinos duas vezes por semana. O futsal abrange crianças de 06 a 12 anos e o futebol de campo, adolescentes entre 13 e 14 anos. O grupo de voluntários é formado por Jesus Gonçalves (Panqueca), Carlos de Virgílio, Francisco Ferreira, Ivanildo, Pedro Júnior, Valdir e Araújo. Os mesmos se revezam nos treinos (três treinadores por vez) e administram o projeto reunindo-se em planejamentos, fazem reuniões periódicas com os pais, promovem eventos sociais e promocionais. Está marcado, para dia 06 de julho, um bingo de um televisor de 20 polegadas doado por três pessoas da comunidade, cuja renda já está destinada ao pagamento de 60 fardas que servirão para uso em jogos competitivos

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Cena da Paixão de Cristo em 2008


Cena da Paixão de Cristo em 2007


Cena da Paixão de Cristo em 2006


Cena da Paixão de Cristo em 2005


Cena da Paixão de Cristo em 2004


Cena da Paixão de Cristo em 2003


Cena da Paixão de Cristo em 2002


Cena da Paixão de Cristo em 2001


Cena da Paixão de Cristo em 2000


Cena da Paixão de Cristo em 1999


Cena da Paixão de Cristo em 1998


Cena da Paixão de Cristo em 1997


Cena da Paixão de Cristo em 1996


Apresentação da Paixão de Cristo em 1995


Cena da Paixão de Cristo em 1994


1994 – não houve apresentação por falta de patrocínios. Daí a formação da Associação Teatral Monsenhor Oliveira – ATMO – com o objetivo de tornar-se pessoa jurídica e angariar recursos para os anos seguintes. Na contagem da ATMO até 2008 são 23 anos de teatro e 20 anos de apresentações.

Cena da Paixão de Cristo em 1993


1993 – A apresentação ganhou novos cenários: templos em tecidos e grades de madeira, melhor iluminação e som. Sistema de gravação de play back já incluindo fundo musical.

1992 – A prefeitura cedeu o prédio da CIBRAZEM e terrenos anexos onde foi construído um palco único e fixo de terraplanagem para todos os cenários e cenas. A partir desse ano, contando com espaço fixo e local para guardar o material de uso para as apresentações, o teatro Paixão de Cristo toma novo impulso e começa a se reestruturar.

Cena da Paixão de Cristo em 1991


1991 – A apresentação aconteceu em um terreno de 60 x 8m à beira da estrada da barragem no Bairro Pontal. Propriedade particular da família de Toínho de Tony. O palco foi feito em terraplanagem e os cenários em madeira e compensado. A ascensão de Jesus contou com um mecanismo de cordas e roldanas suspensas por duas carnaúbas e efeito especial com muita fumaça.

Cena da Paixão de Cristo em 1989


1989 – Deu-se início a montagens de cenários, acréscimos de cenas como a ressurreição de Lázaro, perdão de Madalena, enforcamento de Judas, Jesus perante Pilatos, pré-julgamento dos sacerdotes e dessa vez a ascensão de Jesus foi realizada através de um macaco hidráulico, trazendo mais realidade e leveza à cena.

Cena da Paixão de Cristo em 1988


1988 – A apresentação, já mais aprimorada, ainda foi realizada no patamar da igreja, mas já contou com sistema de som, dublagem de todas as falas, registros fotográficos e mais de 40 participantes.

Cena da Paixão de Cristo Ano 2008


Resumo Histórico do Movimento Teatral da Paixão de Cristo em Quixeré

A década de 1980 foi para Quixeré uma época de mentes férteis em termos culturais com a juventude mobilizada em torno do CCC – Centro Cultural de Cordel – que adaptava a literatura de cordel para peças teatrais belíssimas e tinha como principais líderes os jovens: Antonio Manoel Filho, Veridiano Rodrigues, Domingos Sávio e Valderez. E a JUFRA – Juventude Franciscana que animava, através de seus membros, adolescentes e jovens nas tardes de Sábado tendo como palco o Centro Comunitário (hoje CVT).
Vem desses movimentos o Teatro Paixão de Cristo cujo embrião foi a peça “Vida de Cristo” com roteiro elaborado por Sebastião Santiago Lima – Presidente da JUFRA, Pedro Sérgio Moreira Leão, Maria Elizomar Almeida e José Genésio (Basinho) estudantes jufrenses em 1984.
A primeira apresentação aconteceu no Palco do Centro Comunitário em 1984 com vinte e quatro pessoas atuando em mais ou menos 30 cenas, contando a história de Jesus, do nascimento à ressurreição.
O mesmo grupo apresentou a mesma peça em 1985 em frente à Igreja Matriz com narração de Domingos Sávio.
Em 1986 o jovem Antonio Manoel Filho (Toínho de Tony) foi convidado para ser o Narrador e tudo ainda acontecia de forma muito simplória, pois não tinham figurinos próprios, cenários, sistemas de som e fotografia. Mas é desse ano que se conta o tempo de apresentação da Paixão de Cristo em Quixeré.
1987 – Não houve apresentação.
1988 – A apresentação, já mais aprimorada, ainda foi realizada no patamar da igreja, mas já contou com sistema de som, dublagem de todas as falas, registros fotográficos e mais de 40 participantes.
1989 – Deu-se início a montagens de cenários, acréscimos de cenas como a ressurreição de Lázaro, perdão de Madalena, enforcamento de Judas, Jesus perante Pilatos, pré-julgamento dos sacerdotes e dessa vez a ascensão de Jesus foi realizada através de um macaco hidráulico, trazendo mais realidade e leveza à cena.
1990 – Não houve apresentação.
1991 – A apresentação aconteceu em um terreno de 60 x 8m à beira da estrada da barragem no Bairro Pontal. Propriedade particular da família de Toínho de Tony. O palco foi feito em terraplanagem e os cenários em madeira e compensado. A ascensão de Jesus contou com um mecanismo de cordas e roldanas suspensas por duas carnaúbas e efeito especial com muita fumaça.
1992 – A prefeitura cedeu o prédio da CIBRAZEM e terrenos anexos onde foi construído um palco único e fixo de terraplanagem para todos os cenários e cenas. A partir desse ano, contando com espaço fixo e local para guardar o material de uso para as apresentações, o teatro Paixão de Cristo toma novo impulso e começa a se reestruturar.
1993 – A apresentação ganhou novos cenários: templos em tecidos e grades de madeira, melhor iluminação e som. Sistema de gravação de play back já incluindo fundo musical.
1994 – não houve apresentação por falta de patrocínios. Daí a formação da Associação Teatral Monsenhor Oliveira – ATMO – com o objetivo de tornar-se pessoa jurídica e angariar recursos para os anos seguintes. Na contagem da ATMO até 2008 são 23 anos de teatro e 20 anos de apresentações.
De 1995 a 2008 apresentações sucessivas e ininterruptas fazem a cada ano a consagração de uma história de muitos sonhos, união de esforços populares e exemplo de perseverança. Assim se resume a epopéia que é hoje liderada pelos artistas da ATMO, com apresentação de um dos maiores espetáculos de teatro ao ar livre do Ceará.
2008 - logo Após a Semana Santa, a ATMO reuniu seus membros para renovação da diretoria que é composta por 09 participantes e tem como atual presidente - Paulo Cesar Melo Costa, Vice-presidente - Regina Cláudia de Oliveira Sousa, 1ª secretária - Maria Luciana Xavier Lima, Diretor-geral - Antônio Manoel filho que é também o Relações pública do Grupo e atende pelo telefone (088) 3443 1483 ou pessolamente, no salão ateliê na rua João Batista de Oliveira, 240 Centro de Quixeré - Ceará

domingo, 9 de março de 2008

Cena da Paixão de Cristo em Quixeré


Apresentação da Paixão de Cristo em Quixeré


Como vem acontecendo a cada ano no ápice da Semana Santa, a Associação Teatral Monsenhor Oliveira (ATMO) realizará nos dias 20, 21 e 22 de março o espetáculo da Paixão de Cristo em sua 23ª edição, com um elenco de 245 pessoas entre atores e figurantes, em um palco de 200 metros com 13 cenários e cerca de 30 cenas, revivendo o nascimento, morte e ressurreição de Cristo.
Esse é o maior teatro ao ar livre do vale do Jaguaribe, acrescentando a cada ano cenas e cenários novos para duas horas e meia de apresentação em 03 dias. O local da apresentação fica no bairro Nova Morada, na antiga cibrazem, CE 377 cidade de Quixeré, o seu programa imperdível para a quinta, e sexta-feira Santas e sábado de Aleluia, ao preço de R$ 3,00 por noite a partir das 19:00h

Cena da Paixão de Cristo em Quixeré


Inauguração da CE 377

Com a presença do governador do estado do Ceará, foi inaugurada dia 21 de fevereiro de 2008 a CE 377, estrada que liga Quixeré à cidade de Limoeiro do Norte e à BR 116 atual “Santos Dumont”.
Com investimentos de 7,2 milhões de reais em serviços de desvio do tráfego do centro da cidade, indenizações, obras de drenagem, pavimentação em (Concreto Betuminoso Usinado à Quente) CBUQ, sinalização vertical e horizontal, asfaltamento da rua Vereador Efísio Costa e segmento via Bairro Nova Morada, concretizou-se o sonho da população quixereense que era ver recuperado o asfaltamento dessa estrada.
Segundo as palavras do Governador Cid Gomes, essa foi a primeira ordem de serviços assinada por ele para obras de estradas, em cumprimento ao seu compromisso de governo que é recuperar e pavimentar 1.457 Km de estradas da malha viária estadual até o ano 2010.
Iniciar esse compromisso pela recuperação da CE 377, se deve à precariedade da estrada e principalmente à descentralização da administração Cid Gomes que com sua equipe de governo se desloca mensalmente para uma das cidades do interior do Estado a fim de despachar por um dia conhecendo de perto os problemas e progressos da região. Foi quando esteve com sua comitiva em Limoeiro do Norte que o mesmo assinou essa ordem de reconstrução da estrada. .
Desde 2002, Quixeré vem sendo altamente beneficiado em sua malha viária por ser área de produção de frutas, como melão banana e abacaxi entre outras, cujo escoamento da produção se faz pela estrada do melão/Ce377 e outras que ligam esse município à Russas e ao Rio Grande do Norte, atualmente, todas pavimentadas.

sábado, 9 de fevereiro de 2008

Carnaval quixereense 2008

O Brasil inteiro é contagiado pelo carnaval a cada início de ano. Como nas demais partes do país, Quixeré também entra nesse embalo. Cada cidade tem suas peculiaridades próprias nas quais aparecem as influências regionais como é o caso dos bonecos gigantes que neste início de milênio vem alegrando os quixereenses.
São 22 bonecos representando guetos, etnias, personagens característicos de nossa gente, que tem como principais, rainha negra, rainha branca, rei negro, índio, palhaço, senhor, senhora, bandida e nega louca. O ponto culminante do carnaval quixereense é a barragem de Quixeré, nosso pólo de lazer. Para ele convergem os principais blocos carnavalescos, que são: kibalanço, pileke, Barbie girl, tribus e etc.
Este ano como sempre, os festejos ocorreram com muita tranqüilidade, a organização estava muito boa, e todo mundo se divertiu pra valer. Uns caindo na folia e outros apreciando, ninguém ficou parado.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

carnaval 2008 na barragem de Quixeré


Um dos melhores carnavais do baixo Jaguaribe este ano de 2008

domingo, 13 de janeiro de 2008

HINO DO CINQÜENTENÁRIO Autoria: Maria Dalvany Alves de Lima

Quixeré terra de festa
De conduta libertária
Festeja com alegria
Sua independência
Cinqüentenária.

Admirando a cidade
A chapada do Apodi
Altaneira se eleva
Sol a pino a refletir.

Sua gente valorosa
Não esquece a tradição
Povoando suas terras
Promovendo educação.

Celebrando a liberdade
Conquistada com louvor
Caminhemos com firmeza
Agradecendo ao Senhor.

Nosso ideal de progresso
Não turve a nossa visão
Na defesa desta terra
Que nos dá guarida e pão.

Nossas várzeas
Têm mais verde
Nosso chão tem mais valor
Nosso rio tem mais água
Nossa gente mais amor.

Nossa fé e esperança
Nos conduz a parusia
Pela nossa confiança
No coração de Maria

Pelas gerações passadas
Clama nossa juventude
Desenvolvimento urbano
Educação e saúde.

Lagoinha distrito de Quixeré vem lutando por sua emancipação política e criou seu próprio mapa


A mesma Igreja de Lagoinha distrito de Quixeré em sua forma atual - 2008


Igreja de Lagoinha - distrito de Quixeré - 1963


Igreja de Lagoinha - distrito de Quixeré

Com o lançamento da Pedra Fundamental aos 27 de outubro de 1963, iniciou-se a construção da capela de São José em Lagoinha, com benção inaugural em 06 de Janeiro de 1965 pelo Monsenhor Francisco José de Oliveira.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Sr Manoel de Sousa e Sra. Raimunda Moreira

Bodas de Brilhante - Sr Manoel de Sousa e Sra. Raimunda Moreira

Moradores do Sítio Várzea Alegre, o Casal Manoel de Sousa Lima e Raimunda Moreira de Lima, ele com 95 anos e ela com 97, Comemoram neste dia 10 de janeiro de 2008, Bodas de Brilhante pelos 75 anos de união matrimonial. O casal tem 12 filhos, 20 netos e 20bisnetos, e ainda bastante lúcidos vivem na mesma localidade em que foram criados. Em homenagem ao ilustre e querido casal expomos aqui um pouco do histórico de Várzea Alegre.
O primeiro habitante daquelas terras chamava-se Joaquim Silvano. Sua propriedade foi adquirida pelo Sr. Joaquim Rufino da Silva Maia conhecido como Quinco Honorato, que se mudando do Sítio Maracajá próximo à Timbaúba, fixou residência em Várzea Alegre. Assim chamada por ser uma localidade onde predominava muita alegria da moçada que compunha a família deste senhor.
Até hoje familiares do Sr. Quinco Honorato permanecem nessa localidade, sendo o mais conhecido o seu bisneto Sr. Manoel de Sousa Lima, casado com a senhora Raimunda Moreira de Sousa que são os pais de: Laerte, Lairton, Liodete, Maria Luiza, Maria Lucia, José Liodil, José Líbio, José Lailson, Maria Lila, Maria Luzanira e Maria Lenilda.
O Sr. Manoel de Sousa Lima é filho de Francisco Honorato de Lima e Maria Inácia de Jesus. É neto de Francisco Honorato Rodrigues de Lima e de Ana Maria de Jesus. É bisneto de Joaquim Rufino da Silva Maia e Maria Francisca de Jesus, É trineto de João Honorato Moreira de Sousa e Teodora Ferreira da Silva Maia e tetraneto de Manoel Moreira de Sousa e Eulália Maria Maciel. Patronímico: Manoel Moreira de Sousa e Rosa Maria.
Raimunda Moreira de Araújo, esposa de Manoel de Sousa Lima.
Pais – Tenente José Moreira de S. Araújo e Francisca Angélica de Araújo
Avós – José Moreira de Sousa Araújo e Inácia Maria de Jesus.
Bisavós – Reinaldo Francisco de Sousa e Inácia Maria de Jesus
Trisavós – José Fernandes de Sousa e Maria Francisca Maciel.
Tetravós – Manoel Moreira de Sousa e Rosa Maria.
Obs: A Inácia Maria, esposa de José Moreira de S. Araújo, é filha de João Honorato M. de Sousa e Teodora Ferreira da Silva Maia.
Linhagem Materna
Avós – Manoel Joaquim de Araújo e Maria Inácia de Araújo.
Bisavós - Reinaldo Francisco de Sousa e Maria do E. Santo de Jesus
Trisavôs - José Fernandes de Sousa e Maria Francisca Maciel.
Tetravós – Manoel Moreira de Sousa e Rosa Maria.
O segundo morador de Várzea Alegre foi o Sr. José Lopes Sombra esposo de Maria dos Prazeres; que são os bisavós de Luis Lopes Sombra.

sábado, 5 de janeiro de 2008

Atual Igreja do Distrito de Tomé

Capela de Nossa Senhora de Fátima - Tomé, Quixeré - Ceará.

Em cumprimento a uma promessa que fizera a Nossa Senhora de Fátima, intercedendo à Santíssima Virgem pela erradicação da malária, que causara uma epidemia nos anos trintas d0 Século XX, o Padre Francisco José de Oliveira construiu a Capela de Nossa Senhora de Fátima, cuja pedra fundamental foi lançada no dia 07 de Julho de 1940 às 15:00 h.
Os trabalhos de construção foram concluídos no dia 15 de agosto e a Capela foi benta e inaugurada no dia 08 de Setembro de 1940. Nessa mesma data, a imagem da Virgem de Fátima foi conduzida de automóvel por Padre Oliveira até a casa do Sr. Antônio Raimundo e de lá até a capela, levada em procissão por aproximadamente, 2600 pessoas.
Sua promessa consistia em construir um santuário à Nossa Senhora de Fátima e preservá-la como lugar de oração e penitência, no qual as mulheres só poderiam entrar, vestidas com decência e pudor (mangas compridas, e saias cobrindo os joelhos...).
A escolha do local segundo comentou muitas vezes o próprio Monsenhor Oliveira, se deveu a um sonho que tivera, quando certa vez fora dar a Extrema–Unção a um enfermo na serra. Ao voltar passando na casa do Sr. Lino Oliveira, mais conhecida por Lino de Zezé, lhe ofereceram uma rede para um breve descanso. Segundo ele, apenas adormecera e já despertava com a sensação de que ouvira uma voz que dizia: construa o santuário de Fátima aqui. Ele dizia que fora um sonho. Um breve sonho.
Durante 48 anos e 7 meses, Monsenhor cumpriu na íntegra sua promessa, celebrando tradicionalmente aos dias 13 de cada mês, venerando com seus paroquianos a Virgem de Fátima e preservando a Capela, nos moldes que fora construída. Hoje, apesar de se manter firme a fé, o propósito de contínua piedade e a dedicação à Nossa Senhora de Fátima, a referida capela permanece apenas na lembrança dos que bem a conheceram. Pois como se estivesse traçado pelo destino, a mesma sobreviveu somente os anos que também sobreviveu o seu idealizador, arquiteto e zelador maior, Monsenhor Francisco José de Oliveira. Essa Capela foi demolida pelos moradores da Vila de Fátima, 49 anos depois de construída e pouco tempo depois da morte de Monsenhor.
No mesmo lugar construíram em 1990 a nova capela bem maior que a primeira. Haja vista seus vinte e um metros de comprimento com onze metros de largura, Essa nova Capela foi benta e inaugurada em 13 de outubro daquele ano, Pelo Reverendíssimo Dom Pompeu e por Monsenhor Diomedes então, vigário da paróquia. Em 1998 construíram a torre e colocaram o sino que foi doado pelo cidadão Raimundo Xavier de Menezes, pouco antes de seu falecimento. Essa Igreja hoje conta, também, com uma pequena irradiadora que é de grande utilidade para o povo do distrito.

Santuário de Fátima construído em 1940 em Tomé município de Quixeré

Primeira pracinha de Quixeré ficava à direita do pátio da Igreja Matriz

Essa pracinha construída em 1963. A primeira do Município que tinha somente cinco anos de emancipação política.Foi construída na administração do então prefeito José Gonçalves Ferreira Lima, com planta exclusiva do nosso conterrâneo Engenheiro José Hélio Lima Brito e foi totalmnete substituída pela atual praça da matriz em 1999 na administração da prefeita Luzimar Bandeira de Oliveira.

As boas lembranças desta pracinha

Igreja Matriz em 1940 ainda sem a torre

Altar-mor da Igreja Matriz

Essas colunas eram as paredes externas da capelinha a qual hoje é a Igreja Matriz, que reformada e ampliada é hoje uma das maiores do Baixo Jaguaribe.

Altar da Igreja Matriz atualmente

Igreja Matriz de Quixeré

Igreja Matriz de Quixeré

A Paróquia de Quixeré

Um grande passo para o desenvolvimento de Quixeré foi a criação da Paróquia em 29 de Setembro de 1941. Ato eclesiástico enorme repercussão política, econômica e social para o então distrito. A padroeira é a Imaculada Conceição, cuja imagem encima a torre da Igreja Matriz.